Quinta, 28 de Janeiro de 2021
69 9 9285-1040
Cultura Música

Polícia apreende no Rio versões e até música inédita de Renato Russo

A operação foi batizada de “Tempo Perdido”, nome de uma das canções do cantor.

09/12/2020 21h54 Atualizada há 2 meses
Por: AlvoNotícias Fonte: G1
Polícia apreende no Rio versões e até música inédita de Renato Russo

A Polícia do Rio apreendeu nesta quarta-feira (9), em uma gravadora, versões e até uma música inédita de Renato Russo, que morreu há 24 anos. A operação foi batizada de “Tempo Perdido”, nome de uma das canções do cantor.

O material estava em um depósito que a gravadora mantém na Zona Norte do Rio. Os policiais apreenderam 91 arquivos de áudio. O acervo está catalogado pelo produtor musical Marcelo Fróes.

A polícia diz que o produtor foi contratado pelo pai de Renato Russo em 2000 para fazer um inventário de todo o material produzido pelo cantor. Mas, segundo os investigadores, Marcelo nunca apresentou o resultado para a família.

A polícia afirma que, no ano seguinte, o produtor fez um contrato parecido com a EMI Music e entregou o que encontrou para a EMI. Depois, a EMI foi comprada pela gravadora Universal. A investigação começou em 2018 com uma denúncia do filho de Renato Russo, que tem os direitos autorais de parte da obra do pai.

“A gente não sabe qual o objetivo disso, se algum dia teve um objetivo, se esse objetivo se perdeu no tempo. O que a gente sabe é que esse material estava fora do domínio do verdadeiro dono, que é o senhor Giuliano Manfredini, herdeiro do Renato Russo”, explicou o delegado Maurício Demétrio.

 

Todo o material será entregue e vai ficar sob a responsabilidade do filho do Renato Russo, Giuliano Manfredini. É ele quem vai decidir o que vai ser feito com todo esse acervo.

O material guarda alguns tesouros para os fãs. O produtor listou pelo menos 30 arquivos de áudio inéditos: trechos de músicas, versões nunca tocadas, como “Faroeste caboclo” com uma pegada reggae e até uma música inédita batizada de “Helicóptero”.

O filho de Renato Russo se emocionou a ver o acervo.

“A gente está atrás de todo o registro histórico do Renato, todo o registro do Renato. Tem um valor histórico incomensurável, e acho que os fãs precisam saber disso, os admiradores precisam saber, eles precisam ter acesso a isso”, disse Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo.

A defesa do produtor musical Marcelo Fróes não atendeu às ligações do Jornal Nacional nem respondeu às mensagens. Também procuramos a gravadora Universal, mas ela ainda não se manifestou sobre a apreensão do material.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.