domingo, 18 de novembro de 2018
69 9 9285-1040
Especiais

20/02/2017 ás 22h09 - atualizada em 20/02/2017 ás 22h28

AlvoNotícias

Alvorada do Oeste / RO

Alvorada do Oeste – Morcego albino raro é encontrado em distrito
Tinha ferimentos nas asas.
Alvorada do Oeste – Morcego albino raro é encontrado em distrito

Um morcego albino raro foi avistado sobrevoando em volta de uma residência em Terra Boa, distrito de Alvorada do Oeste, no interior de Rondônia, na manhã desta segunda-feira (20), depois foi encontrado caído, com ferimento em uma das asas.


O mamífero foi recolhido por um dos moradores para evitar que fosse comido por um gato, mas o voador não resistiu e morreu horas depois. O passaro pode ter batido em uma parede da casa, onde foi encontrado.


A espécie do mamífero voador não foi identificada, mas, dependendo da linhagem pode ser considerado muito raro devido a condição hereditária difícil de se encontrar na natureza. O albinismo é um distúrbio congênito caracterizado pela ausência completa ou parcial de pigmento na pele, olhos e pelos.



Veja algumas curiosidades sobre morcegos.


1. Os morcegos representam cerca de 20% de todos mamíferos


A ordem Chiroptera é formada por mais de 1.200 espécies, o que faz com que os morcegos sejam uma das maiores ordens de mamíferos. Eles só perdem para os roedores, que somam 2.277 espécies e correspondem a 40% dos mamíferos.


Os quirópteros se dividem em duas subordens: megamorcegos e micromorcegos. Os megamorcegos – mais conhecidos como raposas-voadoras – têm uma excelente visão e se alimentam de frutas e néctar. Já os micromorcegos têm como principal característica a ecolocalização e um apetite por insetos e sangue.


2. As colônias de morcegos facilitam o controle de pestes


Quando existe uma grande colônia de morcegos na região, não é necessário investir em pesticidas nocivos para a agricultura. Isso porque um único morcego come mais de 600 insetos por hora – o que faz desse animal uma excelente alternativa orgânica no controle de pestes. Com a ajuda deles, a agricultura economiza bilhões de dólares.


Porém, esse recurso se encontra ameaçado. Os cientistas buscam entender como será o futuro desses animais na América do Norte na próxima década, já que eles estão sofrendo com a perda de hábitat e com doenças.



3. As fêmeas conseguem controlar a gestação


Para garantir que as condições externas sejam ideais para receber seu filhote, as mamães-morcego têm táticas biológicas que permitem que elas controlem a fertilização, a implantação do óvulo e o desenvolvimento do feto.


Nas espécies em que o acasalamento ocorre no outono, as fêmeas guardam o sêmen do macho em seu sistema reprodutor para que seus óvulos sejam fertilizados apenas na primavera. Em outros casos, o óvulo é fertilizado logo após a cópula, mas a implantação na parede uterina só acontece quando houver condições favoráveis. Em outro processo de adaptação, a fertilização e implantação ocorrem normalmente, mas o feto fica adormecido por um longo período.


Em geral, as fêmeas se utilizam dessas táticas para garantir que o nascimento dos filhotes coincida com a maior oferta de frutas e insetos no ambiente em que vivem.


4. Alguns morcegos realmente se alimentam de sangue


É fato que algumas espécies de morcegos se alimentam de sangue, mas, ao contrário do que muitos pensam, essas criaturas não chupam o sangue dos animais. Em vez disso, eles usam seus dentes afiados para fazer um pequeno corte na pele do animal. Assim, eles ingerem apenas o sangue que sai do ferimento.


E também se engana quem acha que eles precisam de quantidades enormes de sangue. Em geral, duas colheres de sopa são uma dose diária suficiente para o morcego e uma quantidade que não causa nenhum prejuízo à vítima. Ainda, a saliva dessas espécies é composta por uma substância anestésica que impede que o animal sinta o corte.



5. Os morcegos ficam de ponta-cabeça para economizar energia


Se ficarmos alguns minutos de cabeça para baixo já começamos a nos sentir mal, não é mesmo? Mas essa posição é fundamental para que os morcegos conservem energia. Isso porque o sistema circulatório desses animais é bastante diferente do nosso. Essas criaturas passaram por adaptações que garantem que o sangue seja bombeado para as extremidades e distribuído igualmente em todo o seu corpo quando ele está de ponta-cabeça.


Pode parecer estranho, mas é muito mais confortável para um morcego ficar pendurado do que desafiar a gravidade e tentar ficar em pé. E, como eles têm ossos e músculos extremamente leves para o voo, não é esforço nenhum sustentar o peso do corpo.


6. Os morcegos são os únicos mamíferos que podem voar


Você pode até se lembrar dos esquilos voadores ou outras espécies menos conhecidas – como o petauro-do-açúcar e o colugo –, que percorrem pequenas distâncias no ar, mas a verdade é que os morcegos são realmente os únicos mamíferos que conseguem levantar voo e se manter no ar.


Ao contrário dos pássaros, que movem totalmente seus membros anteriores, os morcegos voam batendo seus dígitos. A membrana de suas asas é sensível e delicada e, assim como pode ser facilmente danificada, cresce rapidamente.


Reprodução/BuildipediaA maior colônia urbana de morcegos fica no Texas, EUA. Fonte: Reprodução/Buildipedia

7. Os morcegos formam colônias enormes


A maior colônia natural de morcegos está na caverna de Bracken Bat, no Texas (EUA), e abriga 20 milhões de morcegos. Durante uma única noite, a colônia inteira pode chegar a consumir impressionantes 200 toneladas de insetos! A quantidade de animais é tão grande que, quando eles saem em busca de alimentos, a densa nuvem que se forma chega a ser visível pelo radar responsável pela temperatura.


Já a maior colônia urbana dessas criaturas fica em Austin, também no Texas, onde cerca de 1,5 milhão de morcegos vivem embaixo da ponte Ann W. Richards Congress Avenue Bridge. Depois de passar o inverno no México, os animais migram para a cidade de março a novembro – período no qual impressionam os turistas e moradores com voos incríveis quando saem em busca de alimentos. (mundocurioso)

FONTE: alvonoticias

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium