Escritório Confiança
AIDS

Agevisa distribui medicamentos para prevenir vírus HIV em grupo de risco em Rondônia

Interessados irão passar por triagem antes de iniciar a utilização do método.

19/02/2019 15h20
Por: AlvoNotícias
Fonte: rondoniagora

Com a proximidade do Carnaval, os órgãos de saúde se organizam para a orientação e distribuição de preservativos para que os foliões antes e durante os desfiles dos blocos de rua. O objetivo é evitar a contaminação por doenças sexualmente transmissíveis. Além da prevenção, a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) está disponibilizando, de forma gratuita, um novo remédio preventivo para o público com maior exposição de contrair o vírus HIV.

Conforme a Agevisa, o remédio recebeu o nome de Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), com combina dois medicamentos (tenofovir + entricitabina), que atuam bloqueiando a entrada do vírus no organismo.

Stella Moraes Pessoas, coordenadora do programa na Agevisa, esclarece que para o método ser eficaz é preciso que a pessoa use os comprimidos diariamente. “Nós alertamos que a PrEP não protege de outras infecções sexualmente transmissíveis e, por isso, deve ser combinada com outras formas de prevenção, como a camisinha”, diz a coordenadora.

O novo método preventivo é direcionado apenas para as pessoas que estão mais vulneráveis ao contato com o vírus como homossexuais, pessoas trans, profissionais do sexo e, ainda, aqueles que frequentemente deixam de usar camisinha em suas relações sexuais e/ou têm relações sexuais desprotegidas com alguém que seja HIV positivo, e que não esteja em tratamento, faz uso repetido de Profilaxia Pós-Exposição ao HIV e apresenta episódios frequentes de infecções sexualmente transmissíveis.

Os pacientes portadores do vírus HIV não podem tomar medicamento, segundo afirmou a coordenadora. Questionada pelo RONDONIAGORA há cerca de uma semana, a Agevisa ainda não respondeu sobre a quantidade de casos de HIV/Aids registrados em Rondônia.

Já quem deseja usar o medicamento, e esteja inserido nessa população chave, deve procurar o Serviço de Assistência Especializada (SAE) com documento de identidade com foto e cartão do SUS. No SAE, será feita uma triagem, sendo necessário a realização de todos os exames laboratoriais. “Se o paciente estiver com a saúde em dia, ele receberá o medicamento e será orientado pelo profissional como deverá ser feito o uso da pílula onde ele também é informado sobre os efeitos colaterais. Mas se ele der positivo o reagente para HIV, o paciente é encaminhado para o acompanhamento e não poderá tomar a pílula”, destaca a coordenadora.

Stella Moraes enfatiza que somente sete dias após tomar a pílula a pessoa pode manter relações sexuais via anal. Já a relação sexual via vaginal é permitida somente após 20 dias.

Endereço das unidades do SAE em Rondônia:
Porto Velho – Policlínica Oswaldo Cruz (POC), Avenida Jorge Teixeira – Telefone: (69) 3216-2216
Porto Velho – Rua Duque de Caxias, 1960, Bairro São Cristóvão – Telefone: (69) 3901 2970.
Ariquemes – Avenida Tancredo Neves, 1586, Setor Institucional – Telefone: (69) 3535-2066.
Cacoal – Avenida Amazonas, 2663, Centro – Telefone: (69) 3907-4122.
Costa Marques – Avenida Limoeiro, 975, Setor 1 – Telefone: (69) 3651-3744.
Guajará-Mirim – Avenida Antônio Coreia da Costa, Centro – Telefone: (69) 8472-0465.
Ji-Paraná – Rua Porto Velho, 2319, Dom Bosco – Telefone: (69) 3416-4187
Pimenta Bueno – Avenida Pinheiro Machado, 316, Centro – Telefone: (69) 98426-0336.
Rolim de Moura – Rua Tocantins, 5424, bairro Planalto – Anexo Clínica da Mulher -Telefone: (69) 98476-8959.
Vilhena – Avenida Porto Velho, 178, bairro 5º BEC – Telefone: (69) 3919-7100.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.