Sábado, 14 de dezembro de 2018
69 9 9285-1040
Política

05/12/2018 ás 21h08

AlvoNotícias

Alvorada do Oeste / RO

Parecer final da Procuradoria Regional Eleitoral é pela desaprovação das contas de Mauro Nazif; Veja
Tiziu pode assumir vaga.
Parecer final da Procuradoria Regional Eleitoral é pela desaprovação das contas de Mauro Nazif; Veja

Porto Velho, RO - O parecer do Procuradoria Regional Eleitoral de Rondônia assinado nesta terça-feira (04.12.2018) é pela reprovação das contas do deputado federal eleito Mauro Nazif (PSB-RO), em virtude de diversas irregularidades, as quais, tomadas em conjunto, comprometem a regularidade, confiabilidade e transparência.


 


Parecer (Foto: oobservador)
Parecer (Foto: oobservador)


Pareceres da Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE) e da Procuradoria Regional Eleitoral (MPE) detalham que o deputado federal eleito, Mauro Nazif (PSB), recebeu recursos de origem desconhecida e de fonte vedada.


As irregularidades são suficientes para a desaprovação das contas de campanha, e se efetivadas podem levar a cassação do diploma do parlamentar. O julgamento deve ocorrer nos próximos dias e o relator é o juiz Clênio Amorim.


As contas de Nazif apresentam várias irregularidades, mas algumas sanáveis e outras que podem ser relativizadas, segundo o parecer apresentado pela área técnica.


No entanto, constatou-se que a campanha de Nazif foi beneficiada com doação de uma pessoa que permissionária do poder público, o que é terminantemente vedada pela Lei Eleitoral. A equipe de Nazif ainda piorou a situação, ao tentar excluir a doação, de acordo com os pareceres.


“Trata-se de uma irregularidade grave, porém, agravada pelo fato do prestador de contas ter retirado a doação de sua prestação de contas. De fato, houve a doação de fonte vedada, já que o prestador de contas registrou a doação estimável recebida e apresentou o contrato de prestação de serviços (assinado) e emitiu o Recibo Eleitoral”, afirma a área técnica.


Ainda de acordo com o parecer, pode até ter existido crime. “É uma inconsistência grave, que denota o financiamento da campanha com recursos ilícitos, geradora de potencial desaprovação, implicando na sua devolução ao doador, sendo vedada a sua utilização.


Caso tenha o prestador de contas se beneficiado, ainda que temporariamente, dos recursos, deve ser recomendada, ainda, a apuração do fato na forma do art. 30-A da Lei n. 9.504/97, do art. 22 da Lei Complementar n. 64/90 e do art. 14, § 10, da Constituição da República.


Entende-se que neste caso, tal irregularidade trata-se de falha grave, que caracteriza omissão de receitas (requisito de confiabilidade das contas),. Portanto, essa doação estimável, constitui-se irregularidade grave, que enseja opinião pela DESAPROVAÇÃO das presentes contas, nos termos art. 77, III, da Resolução TSE n. 23.553/2017.”.


No parecer do Ministério Público, o procurador regional eleitoral, Luiz Gustavo Mantovani colecionou vários julgados de tribunais regionais do país, deixando claro que se trata de vício insanável, levando a desaprovação das contas.


Origem desconhecida


Outra grave falha e da mesma forma insanável, detectada pela equipe técnica do TRE de Rondônia foi a inclusão de veículos com dados de proprietários que não existem.


A comprovação de propriedade das cessões de veículos é uma obrigação imposta pela legislação. A campanha de Nazif não comprovou que pelo menos 16 carros seriam dos donos informados.


“Trata-se de inconsistência, que reflete um erro material nos registros, e que compromete a higidez das contas. Em virtude destas impropriedades na cessão de veículos no montante - R$ 15.679,00, - representarem 22,73% do total dos gastos realizados pelo candidato (R$ 70.712,00), entendemos que neste caso, tal ocorrência não pode ser relevada devido a sua alta materialidade.


Portanto, a ausência de comprovação de propriedade dos veículos, constitui-se irregularidade grave que enseja opinião pela DESAPROVAÇÃO das presentes contas, nos termos art. 77, III, da Resolução TSE n. 23.553/2017”


Ao endossar todas as constatações feitas pela equipe técnica do TRE, o procurador regional eleitoral reafirmar as gravidades.


“Assim, nota-se que a irregularidade perpetrada pelo prestador de contas mostra-se de suma relevância, uma vez que atinge elevado percentual do montante total de recursos recebidos, comprometendo a regularidade e a transparência da movimentação financeira de campanha, razão pela qual faz-se necessária a rejeição das contas prestadas pelo candidato.


Pelo exposto, a PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL manifesta-se pela desaprovação das contas do candidato MAURO NAZIF RASUL, nos termos do artigo 77, inciso III, da Resolução TSE n. 23.553/2017.”.

FONTE: oobservador

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium