Terça, 15 de outubro de 2018
69 9 9285-1040
Polícia

10/10/2018 ás 19h42

AlvoNotícias

Alvorada do Oeste / RO

URGENTE - Senador Acir Gurgacz se entrega no Paraná para começar a cumprir pena de prisão
Parlamentar do PDT foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão por crimes contra o sistema financeiro. Ele tentou impedir a prisão, mas STF rejeitou pedidos dele e da Mesa do Senado.
URGENTE - Senador Acir Gurgacz se entrega no Paraná para começar a cumprir pena de prisão


Acir Gurgacz (PDT) ao votar no último domingo em Ji-Paraná (RO) — Foto: Gedeon Miranda/G1





 



O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) se entregou nesta quarta-feira (10) para começar a cumprir pena de 4 anos e 6 meses de prisão imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Depois de se entregar, segundo a assessoria dele, passou mal e foi hospitalizado.





Segundo informações do STF, Gurgacz se entregou em Cascavel. A assessoria do senador afirmou que ele foi hospitalizado por problemas de pressão.




A ordem de prisão contra o senador foi motivada pela condenação por crimes contra o sistema financeiro. O parlamentar foi considerado culpado de fraudar um empréstimo obtido para empresa de turismo da família.




A defesa tentou suspender o mandado de prisão, mas teve pedidos rejeitados pelo relator da ação, ministro Alexandre de Moraes, e pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli.




O período de proibição de prisão de eleitor terminou às 17h desta terça-feira (9) e, com isso, a expectativa era a de que a Polícia Federal cumpra o mandado de prisão a qualquer momento.




Em 25 de setembro, a Primeira Turma do STF determinou o início do cumprimento da pena – ele foi condenado em fevereiro deste ano. Mas como ele era candidato ao governo de Rondônia, a lei eleitoral impedia a prisão – é vedada prisão de candidato 15 dias antes da votação.




A prisão só poderia ser cumprida se o TSE rejeitasse o recurso e ele perdesse o status de candidato, o que aconteceu na semana passada. O TSE barrou a candidatura com base na Lei da Ficha Limpa.






No entanto, desde o dia 2 de outubro e até 17h do dia 9 de outubro nenhum eleitor podia ser preso, exceto em flagrante. Em razão disso, a prisão só poderia ocorrer a partir da noite de terça.



FONTE: g1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium